WLTP e RDE: Novos testes para certificação dos consumos, emissões de CO₂ e substâncias poluentes

Para serem comercializadas, as viaturas efetuam uma série de testes a fim de verificar a sua conformidade com a regulamentação. Os testes de avaliação de consumos, de emissões de CO2 e de substâncias poluentes são realizados em laboratório e baseiam-se em ciclos de condução específicos. Deste modo, os testes são reproduzíveis e os resultados comparáveis. Isto é importante na medida em que, só um teste de laboratório que segue um procedimento padronizado e repetível, permite que os consumidores comparem os diversos modelos de automóveis.

No dia 1 de setembro de 2017, entrou em vigor o novo procedimento WLTP (Worldwide harmonised Light-duty vehicles Test Procedure - Procedimento de Teste Global harmonizado para Veículos Ligeiros), que irá substituir, progressivamente, o protocolo NEDC (New European Driving Cycle - Novo Ciclo de Condução Europeu).

O ciclo NEDC:

O NEDC (New European Driving Cycle) foi o ciclo de condução europeu até agora utilizado para determinação dos níveis de consumo de combustível e de emissões dos veículos ligeiros de passageiros e dos veículos comerciais ligeiros. O primeiro ciclo de condução europeu entrou em vigor em 1970 e referia-se a um percurso urbano. Em 1992, começou a ser considerada também uma fase extraurbana e, a partir de 1997, passou a ser também utilizado para verificação dos consumos e das emissões de CO2. A composição deste ciclo, porém, já não se coaduna com as atuais modalidades de condução nem com as distâncias percorridas nos diversos tipos de estradas. A velocidade média do NEDC é baixa (34 km/h), as acelerações são reduzidas e a velocidade máxima é de apenas 120 km/h.

O procedimento WLTP:

O WLTP utiliza novos ciclos de condução, (WLTC, ou seja, Worldwide harmonised Light-duty vehicles Test Cycles) para medir o consumo de combustível, as emissões de CO2 e as emissões poluentes das viaturas ligeiras de passageiros e dos veículos comerciais ligeiros. O novo protocolo tem como objetivo fornecer aos clientes dados mais realistas, refletindo melhor a utilização quotidiana da viatura.

O novo procedimento WLTP caracteriza-se por um perfil de condução mais dinâmico e com acelerações mais significativas. A velocidade máxima passa de 120km/h para 131,3 km/h, a velocidade média é de 46,5 km/h e a duração global do ciclo é de 30 minutos, mais 10 minutos do que no precedente ciclo NEDC. A distância percorrida duplica, passando de 11 para 23,25 quilómetros. O teste WLTP é composto por quatro partes em função da velocidade máxima: Baixa ou Low (até 56,5 km/h), Média ou Medium (até 76,6 km/h), Alta ou High (até 97,4 km/h), Extra-alta ou Extra-high (até 131,3 km/h). Estas partes do ciclo simulam a condução urbana e suburbana e a condução em estradas extraurbanas e em autoestradas. O procedimento tem também em conta todos os conteúdos opcionais que influenciam a aerodinâmica, a resistência ao rolamento e a massa do veículo, determinando um valor de CO2 que reflete as características de cada veículo.

Comparação NEDC vs WLTP


NEDC
WLTP
Duração do ciclo
20 minutos
30 minutos
Distância
11 km
23,25 km
Velocidade máxima
120 km/h
131,3 km/h
Velocidade média
34 km/h
46,5 km/h
Fases de condução
2 fases
4 fases mais dinâmicas
Impacto do equipamento opcional
Não considerado
São tomados em conta elementos adicionais (que podem diferir de viatura para viatura)
Passagens de caixa de velocidades
Ponto fixo de passagem de caixa
Diferente ponto de passagem de caixa para cada veículo
Tempo de paragem
24 %
12,5 %

A transição do NEDC para o WLTP

O procedimento WLTP irá substituir gradualmente o ciclo NEDC. O WLTP aplica-se aos novos modelos de veículos homologados desde 1 de Setembro de 2017 e aos novos veículos matriculados a partir de 1 de Setembro de 2018 e é obrigatório para todos os estados membros da UE.
Até ao fim de 2020, ambos os valores de consumos e emissões de CO2, WLTP e NEDC, estarão presentes nos documentos do veículo. De facto, os valores NEDC serão utilizados para avaliar as emissões médias das viaturas matriculadas na UE até ao final de 2020. Para além disso, alguns países poderão continuar a utilizar tais dados para efeitos de tributação sobre veículos. A partir de 2021, os dados WLTP serão os únicos valores de consumo / emissões de CO2 para todos os veículos. Os veículos usados não serão envolvidos nesta transição e manterão os respetivos valores NEDC certificados.

Os consumos e as emissões dos veículos em estrada

O novo procedimento de teste WLTP é mais representativo das reais condições de condução em relação ao procedimento NEDC, mas não consegue tomar em consideração todos os possíveis casos, incluindo o efeito causado pelo estilo de condução próprio de cada condutor.
Portanto, continuará ainda a haver uma diferença entre as emissões e os consumos avaliados em laboratório e os resultantes da utilização do veículo no mundo real, dependendo o valor dessa diferença de fatores como o comportamento de condução, a utilização de sistemas de bordo (ex.: ar condicionado), a intensidade do trânsito, as condições meteorológicas, que são características de cada área geográfica, e as de cada condutor.

É por este motivo que somente um teste de laboratório padronizado permite obter valores através dos quais seja possível comparar com equidade veículos e modelos diferentes.

O teste RDE (Real Driving Emissions - Emissões Reais de Condução): Um teste focado na verificação das emissões em estrada.

O teste RDE verifica se as viaturas mantêm as emissões em valores baixos também nas condições reais de condução em estrada. O teste RDE não substitui o teste de laboratório WLTP, mas serve de complemento. Durante o teste RDE, a viatura é conduzida em estrada numa ampla variedade de condições. Tais condições incluem: altitudes e temperaturas diferentes, carga suplementar, condução em subidas e em descidas, estradas urbanas (velocidade baixa), estradas rurais (velocidade média) e auto-estradas (velocidade alta).
Para medir as emissões poluentes durante a condução em estrada, os veículos são equipados com sistemas de medição portáteis (PEMS) que efetuam uma monitorização completa em tempo real dos principais poluentes emitidos pelo veículo. Os PEMS são aparelhos complexos que integram analisadores avançados de gases, medidores de fluxo dos gases de escape, estação meteorológica, GPS (Global Positioning System) e uma ligação em rede. Os dados recolhidos são analisados para verificar se as condições de enquadramento da viagem RDE foram satisfeitas e se as emissões se mantêm dentro dos limites previstos pelo regulamento.
Os limites que não devem ser superados são os previstos no teste de laboratório (WLTP) multiplicados por fatores de conformidade. Os fatores de conformidade têm em conta a margem de erro dos instrumentos, que não medem com o mesmo nível de rigor e repetibilidade utilizado no teste em laboratório.

O teste RDE aplica-se desde 1 de Setembro de 2017 aos novos modelos de viaturas e a todas as viaturas matriculadas a partir de 1 de Setembro de 2019 no caso da verificação dos óxidos de azoto (NOx), com fator de conformidade 2,1. Já no caso da verificação do número de partículas emitidas (PN), o fator de conformidade é de 1,5 e aplica-se a todos os veículos matriculados a partir de 1 de Setembro de 2018.

O que se altera para clientes

O novo procedimento WLTP fornecerá um critério mais realista para comparar os valores de consumo e de emissões de CO2 dos diversos modelos de veículos, dado que foi projetado para refletir de modo mais exato o comportamento de condução real e para ter em conta as características técnicas específicas de cada modelo e versão, incluindo o equipamento opcional.

Para garantir clareza e a máxima transparência possível, a FCA fornecerá aos revendedores e aos clientes informações detalhadas sobre os valores de consumo e de emissões de CO2 de cada viatura configurada e sobre os valores mínimos e máximos dos diversos modelos.